Segunda parte da entrevista do Tokio Hotel a Revista In Rock Pop. Confira abaixo.

Tradução da revista feita pela THZONE

Entrevista Exclusiva com Tom – o gémeo idêntico de Bill

“Discutimos tudo juntos. Durante o dia discutimos tudo e mais alguma coisa. Quando nos levantamos de manhã, até o tipo de café que vamos beber discutimos.”

Antes dos Tokio Hotel chegarem ao Japão, fizemos um telefonema para o seu estúdio em Hamburgo. Estão a ensaiar para a sua viagem à América do Sul.
Tom atendeu o telefone com a sua voz fresca e vigorosa. De acordo com a sua histórica popularidade na Europa, pensámos que ele não teria propriamente a delicadeza de um cavalheiro. No entanto, para nossa grande surpresa ficámos com uma ótima impressão.

Com base em informações da Internet, vocês têm andado à procura de uma nova casa. É apenas para as gravações, é temporário?
Sim, nós vamos mudar-nos para Los Angeles. Mas temos também uma casa em Hamburgo.

Porquê? Já se mudaram para Los Angeles?
Nós morávamos em Hamburgo, mas decidimos mudar-nos para Los Angeles porque vamos trabalhar com o nosso produtor que mora lá. A nossa decisão também tem como base o trabalho, por isso decidimos nos mudar.

De acordo com alguns rumores, depois de terminarem de gravar este novo álbum vocês querem regressar à Alemanha em vez de ficarem a viver em Los Angeles, não é?
Na verdade, Georg e Gustav ainda vivem em Magdeburgo. O Bill e eu vivemos em Los Angeles. Mas agora estamos na Alemanha, porque estamos concentrados nos ensaios para a tour da América Latina.

E isso funciona bem? Estarem separados uns dos outros. Qual é a noção de coletivo nesse caso?
Na verdade acaba por ser um pouco inconveniente. Mas criamos esta banda há quase 10 anos, por isso não vai ser assim um grande problema. Nos encontramos para ensaiar e tratamos de tudo nos ensaios. Nós praticamos e escrevemos as letras e depois o Georg e o Gustav vão estar conosco e ensaiamos todos juntos.

Eu ouvi dizer que vocês levaram os 4 cães para Los Angeles. É verdade?
Sim, os 4 cães estão em Los Angeles.

Como é a tua vida em Los Angeles? Vive com o Bill?
Claro, vivemos juntos.

Onde vivem em Los Angeles?
West Hollywood, é um local agradável.

Têm muitos amigos em Los Angeles?
Não temos muitos amigos em Los Angeles, mas na Alemanha também não temos muitos amigos (risos).

É por serem famosos?
Hmm, acho que é uma das razões. No fundo não vivemos como o resto das pessoas. Mas desde os tempos da escola que temos apenas dois ou três amigos próximos. Se eles vierem a Los Angeles, é perfeito. Temos alguns amigos em Los Angeles, mas apenas por causa do trabalho, andamos sempre do trabalho para casa. Os nossos produtores vivem em Los Angeles, por isso é fabuloso não é?

Quando moravam na Alemanha, vocês eram ensombrados por ladrões e seguidores. Talvez a vossa vida em Los Angeles possa ser mais segura e mais pacífica?
Sim, pelo menos é o que eu espero. Foi mais uma das razões para nos mudarmos para Los Angeles.

A vossa viagem à América Latina é o primeiro passo para entrar no mercado americano. É um bom começo, certo?
Talvez, eu penso que o nosso próximo álbum será lançado em breve. Em 2010 pensamos ir ao Japão e fazer um show promocional. Estamos ansiosos. Depois da nossa viagem à América Latina iremos terminar o nosso novo álbum, por isso ainda vai demorar um pouco. Por isso, também irá demorar um pouco para entrar no mercado americano.

Todos tem um passatempo, já agora, quem faz as tarefas domésticas? O Bill? Ou alguém os ajuda nisso?
Temos algumas pessoas que nos ajudam nas tarefas domésticas, porque a casa é demasiada grande, precisamos de contratar alguém para o fazer. Mas por vezes nós fazemos essas coisas juntos.

Os Tokio Hotel são super estrelas na Europa. Vocês querem aproveitar o fato de serem famosos para fazer algum trabalho de solidariedade? Ou algum trabalho comunitário?
Claro, já fizemos muitos tipos diferente de trabalhos de solidariedade. Já vai fazer 3 anos desde que eu e o Bill nos tornámos vegetarianos. E nesse aspecto, apesar de não haver muitos tipos de trabalho social, nós iremos encontrar alguma coisa para fazer.

Você é um vegetariano, mas eu adoro carne. (risos)
Oh, você adora carne, o Georg e o Gustav também.

Eu gosto de carne. Nos 7 dias em que eu estive na Alemanha só comi carne. Parece que os alemães gostam de comer carne.
Apesar de eu ser vegetariano e de não comer carne, eu tenho de comer comida saudável, senão não tenho forças. Antigamente, eu gostava de comer fast food, coisas como cheeseburgers e cachorros quentes.

Tom, se importa de me descrever a sua personalidade?
É uma pergunta difícil. Devias perguntar ao Bill. A meu ver, eu sou um guitarrista brilhante, adorável e bonito. E também sou muito simpático. Eu e o Bill somos do signo Virgem, por isso eu sou um perfeccionista. Por vezes, neste aspecto eu sou um bocado paranóico, por isso posso causar problemas.

Quando você e Bill estão juntos, do que falam?
Quando estamos juntos? Nós decidimos tudo juntos, seja qual for o tema. Quando acordamos de manhã discutimos sobre que tipo de café vamos beber, ou de que cor ficaria melhor o chão da sala de ensaios, ou que música devemos tocar e como devemos toca-la no concerto. Partilhamos tudo um com o outro.

Vocês têm um estúdio em Hamburgo, também vão ter um em Los Angeles?
Como acabamos de nos mudar, alguma da mobília só será entregue dentro de 2 ou 3 semanas. A casa de Hamburgo está vazia. Porque a casa de Los Angeles é tão grande que eu penso que…

Planeiam construir uma sala de gravação na qual possam fazer um álbum sozinhos?
Sim, eu penso que nós acabaremos por construir uma apesar de custar muito dinheiro.

Assim poderão poderão fazer a sua música, sempre que quiserem.
Claro, já o fazíamos em Hamburgo. Podemos escrever e gravar ao mesmo tempo, e depois podemos fazer as gravações oficiais no estúdio do produtor. Por isso temos de decidir. Devemos gastar montes de dinheiro montando o nosso próprio estúdio na nossa casa ou arranjar um outro estúdio que nos ajude nas gravações.

O produtor é o David Jost?
David Jost e Dave Roth.

Vocês vão trabalhar com essas duas pessoas no próximo álbum?
Penso que sim. Para além deles, vamos trabalhar com outros produtores e autores. Porque queremos criar uma coisa especial e fresca, mas ainda não sei muito sobre o próximo álbum. Não fazemos planos. Uma vez que ainda não começamos a escrever as músicas não sabemos o que vai acontecer.

Vocês cantaram uma música em japonês há 3 ou 4 anos atrás, certo?
Sim, a Durch den Monsun.

Voltarão a cantar em japonês?
Ainda não sei. O Bill é que sabe essas coisas. Mas é muito difícil para o Bill cantar em japonês. E para além do inglês e do alemão, somos preguiçosos demais para aprender outras línguas. Por isso quando gravamos precisamos de alguma ajuda. Mas foi divertido gravar a Durch den Monsun em japonês, apesar de ter sido mesmo difícil. Oh, vocês ouviram essa não ouviram? Entenderam o que estávamos cantando?

Na verdade eu só li algumas coisas a respeito, ainda não a ouvi. Mas eu prometo que se vocês cantarem em japonês quando vierem ao Japão, desta vez, eu digo se cantaram bem.
Então ok.

A próxima pergunta é básica. Porque é que se chamam Tokio Hotel?
O nosso nome original era Devilish.

Sim, isso eu sabia, é um nome legal.
Sim, é um nome bem legal. Mas queríamos um ainda melhor. Por isso decidimos ficar conhecidos por “Tokio” depois de pensarmos melhor. Tóquio soa melhor do que Berlim. No entanto nunca lá estivemos. Até um certo ponto o nome da banda simboliza um dos nossos grandes objetivos. E o nosso próximo destino é Tóquio.

O que é que sabem sobre Tóquio, ou sobre o Japão?
Não faço ideia. Já me disseram que o Japão é um mundo de cor, por isso queremos ser nós a ver isso. Na verdade não tenho uma imagem específica de Tóquio construída na minha cabeça. Acho que será uma grande surpresa para nós.

Tom, há alguma coisa que queiras fazer no Japão? Há alguma coisa que queiras dizer aos fãs?
Claro, agradecemos imenso o fato de nos apoiarem sempre. Estamos ansiosos por ir ao Japão e por conhecer-vos a todos no nosso concerto. É a primeira vez que vamos ao Japão e não podíamos estar mais felizes. Queremos ver todas as ruas, provar a comida japonesa, tudo isso. Mal podemos esperar.

Deixe um comentário