Bill Kaulitz quebra barreiras. O jovem de 21 anos é cantor, modelo, figura publicitária e empresta a sua voz a um desenho animado – e está a caminho de se tornar um grande artista pop – mas parece que, ainda nem toda a gente se deu conta disso.

Eles procuravam, mas não souberam perceber, enquanto ele estava bem na sua frente. No ano de 2003, o canal Sat1 procurava uma estrela e conheceu Bill Kaulitz. Star Search era o nome do programa de procura de talentos. Bill, de 13 anos, o seu irmão gémeo Tom e mais dois amigos “fazem música independente de acordo com as suas próprias regras”, explicou na altura Kai Pflaume (apresentador), antes de Bill entrar, pela primeira vez na sua vida, num palco televisivo.

Ofegante, o pequeno rapaz, penteado como um pequeno vampiro de lápis preto nos olhos, cantou It’s Raining Men, das Weather Girls, enquanto abanava freneticamente os braços. Mais tarde, teve de ouvir as piadas sobre a sua roupa. Mas reagiu de forma educada e encantadora respondendo ao júri com um sorriso rasgado.

Hugo Egon Balder (membro do júri) aconselhou-o a seguir a carreira de comediante, dizendo que a sua voz era muito “engraçada”. Apenas Jasmin Wagner, conhecida no mundo musical como Blümchen, reconheceu o seu potencial. “Parabéns pela tua actuação,” disse ela obviamente impressionada: “Tu vais poupar imenso trabalho a uma companhia discográfica”. Conselheiros de imagem, peritos em moda – com o Bill não é preciso tudo isso. “Tu já tens todas essas coisas”. E terminou com a afirmação: “E eu penso que se tu continuares, podes chegar até ao topo”. Balder e os outros membros do júri, no entanto, escolheram um rapper de 11 anos de idade, em vez de Bill.

Os amigos, com os quais, na altura, os irmãos Kaulitz já faziam música, chamavam-se Georg e Gustav. Hoje em dia a banda é conhecida como Tokio Hotel entre as raparigas na Alemanha, Espanha, México, França, Canadá, Israel por aí a fora, e ainda nos EUA. Mas o talento excepcional do Bill de certa forma ainda não é reconhecido. Provavelmente devido a esses mesmos milhares e milhares de raparigas histéricas.

Bill Kaulitz quebra barreiras. É cantor, modelo, figura publicitária e empresta a sua voz a um desenho animado. Com montes de maquilhagem na sua, indiscutivelmente, linda cara ele ultrapassa a fronteira entre homem e mulher, facto que trás consequências e explica o rumor da sua homossexualidade. Mesmo que ele confesse que não é gay as vezes que ele quiser, a ambiguidade sexual faz parte da sua imagem – aquilo que confunde ainda mais é o facto de o seu irmão gémeo idêntico se vestir como um rapaz normal. Mas Bill Kaulitz faz lembrar David Bowie, que iniciou este jogo de géneros enquanto Ziggy Stardust no início dos anos 70.

Nada merece maior castigo entre as crianças do que o facto de se ser estranho. É óbvio que o Bill não se importou minimamente com isso. Claro, ele odiou os dias de escola na vila deserta onde vivia, Loitsche. As razões são óbvias. Como é que reagem os adolescentes vendo um rapaz com o cabelo pintado de preto, com um penteado assimétrico tal como as suas calças, feitas por ele mesmo? Uma pergunta retórica. Ele continua a fazer as coisas como gosta. Com 9 anos os gémeos cantavam em feiras da vila, com 12 anos conheceram o Georg e o Gustav num clube de Magdeburgo e fundaram a banda Devilish. Um ano mais tarde, após a actuação de Bill no Star Search, o produtor musical, Peter Hoffmann, foi ao mesmo clube para ver a banda actuar.

“E no microcosmo acontecia exactamente a mesma coisa que acontece hoje nos grandes concertos”, relembra ele: “Raparigas aos gritos na primeira fila, esmagando os rapazes”. Hoffmann convida-os para o seu estúdio em Vögelsen na Baixa Saxónia, Lüneburgo. Os rapazes têm aulas de música e de canto. Os Devilish transformam-se nos Tokio Hotel. Eles assinam um contrato com a Sony Bmg, mas depois de meio ano a companhia discográfica recuou. O manager responsável dispensa a banda. A Sony BMG deixou escapar um negócio multimilionário e o manager foi despedido. Em vez deles, a Universal, uma das maiores concorrentes da Sony BMG, conseguia sucesso atrás de sucesso com a banda. Até agora foram lançados três álbuns. Há uns dias atrás, foi lançado um Best Of duplo. Um CD com as músicas em alemão, e um CD com as mesmas músicas em Inglês. O maior erro que está instalado nas cabeças de alguns adultos sem noção, é o de que os Tokio Hotel são uma boyband criada. Nunca o foram. Bem, Bill e Tom já queriam ser estrelas de rock quando estavam na segunda classe. Mas também os Rolling Stones o quiseram, muito antes de o conseguirem. O, hoje com 21 anos, vocalista dos Tokio Hotel é mais do que a cabeça de uma banda de adolescentes com umas cantiguinhas pop que fazem as massas gritar. Kaulitz é um daqueles seres humanos com um carisma único: andrógino, dramático, glamoroso. A sua banda tem cada vez menos de Nena, mas cada vez mais de Nirvana.

Há umas semanas atrás, ARTE (Canal de TV alemão) ajudou a que, as pessoas que têm mais de 30 anos, que não tenham uma filha que goste de Tokio Hotel, prestassem atenção a este jovem. O programa cultural mostrou um episódio da sua série: Durch die Nacht mit…Neste episódio Bill Kaulitz conhece Wolfgang Joop – e o estilista ficou na lua desde então. Mas já poderiam saber isso há mais tempo. Mas ninguém, que não esteja apaixonado por um dos gémeos Kaulitz, por Georg ou por Gustav, se lembra de ir ver vídeos no seu site, ou de ir a um concerto dos Tokio Hotel. De outra forma muito mais gente já teria reparado que as raparigas que atiram sutiãs para o palco, limitam-se a reconhecer o que está perante elas: um extraordinário jovem que fez o que tinha a fazer para se tornar uma estrela mundial.

Tradução por: www.thzone.org

Deixe um comentário