“Enquanto um é odiado, também é amado”

Tokio Hotel é amado e odiado.

Desde que Bill e Tom Kaulitz (23) lançaram o “Durch Den Monsun” em 2005, eles estavam no topo das paradas e dividiram a nação. Dois anos atrás, eles fecharam a porta do Tokio Hotel, mudaram-se para Los Angeles e fizeram uma pausa. Mas não mais. Os gêmeos comemorarão seu retorno em 05 de janeiro na RTL com Dieter Bohlen (58) no júri do DSDS -.o maior show de talentos na televisão alemã, uma loucura tão grande? Bill e Tom falou com “IN”.

IN: O que fez você querer tomar parte do DSDS?
Bill: Definitivamente pelo formato decidimos “DSDS” porque é um espetáculo de casting tradicional, que tem um fator de entretenimento enorme e lança a plataforma do artista para uma carreira de sucesso. Steven Tyler, o vocalista do Aerosmith, sentou-se no júri do “American Idol” nos EUA -versão que fala sobre formato de qualidade.

IN: Formato em que cada um de vocês recebe 500.000 euros.
Bill: (risos) Nós não falamos sobre números. Nosso compromisso está ligado a determinadas condições que mais tinham a ver com a nossa agenda de trabalho.

IN: Houve propostas de outros programas?
Tom: Por vários anos, eliminamos quase todos os formatos de talento musical para nós. Nós sempre tivemos a ideia de fazer isso, mas, no final, nós nunca realmente nos encaixamos. Para nós era claro que se participássemos de um show de talentos, seria o maior e mais bem sucedido.

IN: Como é trabalhar com Dieter Bohlen?
Tom: Trabalhar com Dieter é totalmente relaxado. Nós não conhecíamos Dieter antes e queríamos confrontar com imparcialidade. Sabíamos que estávamos lidando com o dano – se ele nos conhecia pessoalmente ou não no primeiro dia de filmagem então fomos naturais e foi tudo bem!Inclusive com Mateo.

IN: Bill,  em 2003 você esteve no show de talentos “Star – Search”  e  foi eliminado  na segunda rodada. Deveriam ser julgados os juízes Alexandra Kamp, Jeanette e Hugo Egon Balder por não reconhecerem o seu talento?
Tom: (risos) Claro que deveriam! Com a decisão de enviar Bill para casa, o júri do “Star Search” foi completamente ao banheiro.

IN: Você está vivendo em Los Angeles por dois anos. É uma vida relaxada para você?
Bill: Claro. Isto também é devido às circunstâncias. Na Alemanha, todos  viram-nos crescer. Nossa puberdade foi vista em público, e, muitas vezes sentíamos como se estivéssemos na casa do “Big Brother”.

IN: Quais são as suas experiências com amigos na cidade superficial?
Bill: Los Angeles pode ser muito ego-conduzida. E nós não nos importamos. Nós nos mudamos para Los Angeles para trabalhar livremente com músicas novas, e porque nossos estúdios estão lá, onde produzimos. Novas amizades são geralmente difíceis e este é provavelmente o preço do nosso sucesso.

IN: Tokio Hotel é considerado como um logotipo, entre outras bandas alemãs no exterior. Você se ressente de ter que lutar para estar no seu país de origem com hostilidade?
Tom: Estamos acostumados. Agora vamos ver isso de uma forma pragmática. Enquanto um é odiado, também é amado. E, enquanto você mantêm o equilíbrio, você pode viver. Podemos ignorar, não ler e não comentar qualquer besteira. Morando em Los Angeles, temos distância suficiente, o que é bom.
Bill: Nós não estamos procurando no Google. Então, nós não lemos comentários ou entrevistas, eu ficaria louco provavelmente. Somos totalmente protecionistas e sempre fomos muito auto-críticos em tudo que fazemos. Para ser realmente bom, você não deve perder a perspectiva, nós sabemos que há pessoas à direita e à esquerda.

IN: Você pode se imaginar voltando para a Alemanha?
Bill: Eu não descartaria isso. Sempre teremos uma residência na Alemanha, para a nossa família e amigos.

IN: Como estão seus vínculos para casa?
Tom: Eu me sinto em casa, onde tenho minhas próprias quatro paredes. Se eu tiver uma casa e meus quatro cães estão lá e minha família está lá, Eu me sinto em casa rapidamente. Eu não preciso de mais. Quem sabe e talvez em dois anos, ir para um lugar muito diferente. Bill e eu sempre desejamos viver na Índia.

IN: Tokio Hotel realmente pode existir sem seus companheiros de banda Georg e Gustav?
Bill: A questão não é para nós. Tokio Hotel é impossível de se quebrar em pedaços. Somos um grupo de mais de 10 anos e, especialmente, nós somos amigos íntimos.
Tom: Tokio Hotel, está apenas na constelação. Qualquer outra coisa é impensável!

Texto traduzido por Mih. Se copiar, dê os devidos créditos ao THBR e à tradutora.

Deixe um comentário