“DSDS é o original”

Novos candidatos, novos apresentadores- e reais Superstars no Júri. A temporada 10 do “DSDS”  (começa em 05 de janeiro, 20:15 na RTL) dá início à nova temporada na TV. Há 32.078 candidatos concorrentes para  um contrato com a gravadora Universal e 500.000 €. “DSDS” começa com 7  casting shows, seguido pelos Recalls em Bad Driburg e Curaçao que irão, então, levar para os shows ao vivo. Os gêmeos do Tokio Hotel Bill e Tom Kaulitz revelaram por que eles estão convencidos do sucesso de “DSDS” em uma entrevista exclusiva com TV-Digital.

 Por que você  apoia o “DSDS” em seu ano de aniversário?
Bill: Porque “DSDS” é o show de maior sucesso de casting show, que oferece um começo realista para o negócio da música. É o original!
Tom: Todos os outros shows tentam insuflar nova vida em seus formatos por surgir com novas idéias. Mas “DSDS” é o formato de maior sucesso, especialmente quando se trata do sucesso de artistas  depois do”DSDS”. O sucesso dos vencedores nunca é tão grande. Onde mais você pode ganhar 500.000 euros – e praticamente obter uma garantia para um hit número um?

Como é trabalhar com Dieter Bohlen?
Bill: Muito bom! Desta vez, o júri do “DSDS”  é feito por 4 músicos ativos. Nós vamos dar aos candidatos alguns bons conselhos.

Qual é sua música favorita da banda “Modern Talking”?
Tom: Eu não tenho uma. E para ser honesto, eu também não conheço muitas.
Bill: “Cheri, Cheri Lady” foi uma música deles. Mas não foi realmente um sucesso durante o “nosso tempo”.

Que música descreveria suas atitudes para tornar a vida melhor?
Tom: “It’s my Life”, é claro. (Bill e Tom riem)
Bill: Não, não há nenhuma música específica de outros artistas. Nossas  próprias músicas definitivamente descrevem a nossa atitude para tornar a vida melhor.

Na Alemanha, surgiu o sentimento de que você passou a se esconder em Los Angeles durante os dois últimos anos. Por que está realmente ali?
Bill: Nós estamos em Los Angeles para trabalhar em nosso novo álbum, porque temos uma boa base lá – quero dizer: estúdios, produtores e pessoas com quem temos trabalhado por um longo tempo.
Tom: A maioria das pessoas, quando pensam em LA, pensam em glamour e hollywood. Ambas as coisas não eram cruciais para a nossa decisão de trabalhar lá. As condições de trabalho eram simplesmente perfeitas e adequadas para nós. Mas, teoricamente poderíamos também termos  ido para Chicago ou San Francisco. Quem liga meu trabalho em Los Angeles com a vida  glamurosa de Hollywood está lendo muito para o nosso movimento.

Onde você irá viver no futuro próximo?
Bill: Nós ficamos entediados muito rápido quando vivemos em um lugar por muito tempo. E nós gostamos de nos locomover. Nós temos uma vida confortável em Los Angeles, mas também  podemos imaginar-nos vivendo em outro lugar. É absolutamente possível que iremos trabalhar em um país diferente próximo ano.
Tom: Eu, por exemplo, posso me imaginar vivendo na Índia! É um grande desejo meu: migrar para a Índia por algum tempo. É um país que não fomos ainda. O nosso desejo de ir para a Índia foi realmente provocado ao  ouvirmos tantas coisas positivas sobre o país. Definitivamente vou fazer uma viagem de moto por toda a Índia.

Você acredita que os shows com castings têm um futuro?
Bill: Um monte de artistas  decidiram atualmente participar do júri de um programa de casting, por exemplo: Britney Spears, Steven Tyler ou Mariah Carey. Na medida em que um novo show da era está começando.
Tom: Os condenados vivem mais. Estou convencido de que os programas de casting estão se reinventando. Carreiras de contos de fadas não são mais o costume, porque há menos caçadores de talento que oferecem  um contrato de gravação para bandas desconhecidas. Isso mudou desde que fomos descobertos, fomos incrivelmente sortudos. A saída para esse dilema é lançar shows. Onde mais você pode obter um Hit número um e de vez em quando também popularidade global? Os americanos sabem disso há muito tempo!

Aparentemente vocês são fãs da Angela Merkel…
Bill: A política da nossa chanceler federal é compreensível. Para mim, Merkel é uma figura popular. Ela transmite uma espécie de Síndrome de “Mãe” – pelo menos um pouco. Com ela, você tem a sensação de que você está em boas mãos.

Que artistas destacados orientam vocês mesmos, quero dizer, que são modelos a seguir?
Bill: Nós sempre gostamos de Aerosmith. Uma banda que começou incrivelmente cedo e que ainda está no palco – uma lenda que formou as gerações com seu som.

Quando seu álbum será lançado?
Tom: Não este ano.
Bill: Não há nenhum ponto específico no tempo. Nós vamos liberá-lo quando sentirmos que tudo está perfeito. Um dia desses alguém vai ter que erguê-lo para fora das nossas mãos e dizer: “Ok, isto é o suficiente” Mas no momento ainda estamos escrevendo e em processo de produção.

A última pergunta que falta: Está satisfeito com a sua vida?
Bill: Muitos felizes. Enchemos nossa vida com a nossa paixão pela música. É muito importante viver o aqui e agora, sem ser “caçado” por novas metas a atingir. Quando eu olho para trás, para as coisas que fiz no passado, eu só posso dizer que estou feliz com tudo.
Tom: A felicidade não depende de como as coisas vão, sim da sua própria atitude.

Texto traduzido por Mih. Se copiar, dê os devidos créditos ao THBR e à tradutora.

Deixe um comentário