tokio-hotel-breatheheavy2

Tokio Hotel deixou o caos que os rodeavam na Europa pelo caos noturno em Los Angeles. Um negócio justo?

A banda passou os últimos cinco anos longe da pressão do estrelato antes de lançar seu novo álbum de estúdio, “Kings Of Suburbia,” que está disponível nos Estados Unidos (ou no iTunes).

“Estávamos um pouco cansados depois de lançarmos nosso último álbum em 2009”, o cantor Bill Kaulitz diz à BreatheHeavy.com ao telefone.

“Depois daquele álbum, e toda turnê, nós sentimos que precisávamos de uma nova inspiração e não sabíamos realmente o que fazer em relação à música. Nós sentimos que tudo já havia sido feito, dito, e eu não sabia para onde queríamos ir e o que queríamos fazer. Pessoalmente também, nós apenas queríamos uma pausa. Eu queria me afastar da carreira e ter uma vida privada. Não podíamos ter isto na Europa, então, nos mudamos para os Estados Unidos para encontrar essa privacidade.”

Ele explica que eles tiraram um ano para apenas explorar festas antes de construir um estúdio de gravação e voltarem ao trabalho.

“Eu penso que precisávamos apenas nos afastar de tudo. Nós fugimos da carreira. Essa liberdade que encontramos… nós realmente podemos sair e viver a vida e estar fora dessa bolha do Tokio Hotel.”.

A maior mudança foi a independência libertadora. Um famoso, jovem, rico músico tem isto quando tem experiência suficiente para tê-lo. Bill e seu irmão gêmeo Tom queriam descobrir para onde eles queriam ir, não só como pessoas, mas como músicos. Eles são responsáveis pela direção do seu novo álbum e pelo som maduro, um desenvolvimento bem-vindo seguido de cinco anos de exploração deles mesmos.

“Nós produzimos pela primeira vez e realmente tivemos tempo de construir nosso próprio estúdio. Foi a primeira vez que produzimos um álbum por nós mesmos. Nós nunca tínhamos tempo antes disso.”

Quando Bill não estava no estúdio, ele vivia a vida dos clubes.

“Eu festejei bastante,” ele reflete. “Eu saí muito. [o álbum] foi inspirado pela vida noturna e DJs. Está de uma forma mais eletrônica em relação ao que já fizemos.”

Fiquei intrigado com isso, porque estava suando de ansiedade pensando na negociação no Netflix e acariciando meu gato por causa de uma viagem desastrosa para um clube. Eu perguntei a ele sobre suas recentes saídas em Los Angeles.

“Los Angeles é meio chata, para ser honesto. Tudo fecha às 2 [da manhã], e  não consigo me acostumar a isto, porque sou da Alemanha. Tudo na Europa começa muito tarde. Se festejamos, festejamos à noite inteira. Não posso me acostumar. Sempre fico muito estressado. Sinto que tem de ficar bem bêbado para aproveitar a noite. Você precisa encontrar as pessoas e as festas certas para aproveitar. Penso por mim, essa é a liberdade que fez eu realmente ter capacidade de ir a clubes sem ter seguranças e alguém me reconhecer.”

Ri e disse que sou de Las Vegas, uma cidade a qual você é encorajado a beber após duas da manhã. Desde que você dê gorjeta, uma grande gorjeta.

“Eu amo Vegas,” Bill continua. “Qualquer lugar que  vou estou para baixo. É a coisa mais próxima de Los Angeles. E você pode festejar como se estivesse na Europa.”

No dia depois da nossa entrevista, Bill e seu irmão gêmeo Tom viajaram para Vegas para uma última comemoração antes do começo da promoção para a turnê hoje.

“É um desenvolvimento natural,” Bill diz sobre o som de “Kings Of Suburbia”. “Não forçamos algo ou discutimos o que queríamos mudar. Isso meio que aconteceu. Nosso primeiro single e álbum lançou na Alemanha quando eu tinha 15 anos. Desde aquele momento nós apenas estávamos nas estradas e trabalhando e lançando música.Eu era muito jovem. Isso apenas se desenvolve naturalmente. Nunca sentamos e discutimos sobre uma música ou conversamos sobre o que queríamos fazer. Apenas aconteceu.”

Sua música se envolveu som estilos de rock à eletrônico, adicionando piano, bateria e sintetizadores para criar músicas originais como seu single, “Love Who Loves You Back,” uma música produzida por Rock Mafia sobre a loucura do amor.

“Tantas pessoas, até mesmo meus amigos, sempre riem de mim porque eles dizem que sou um romântico cheio de esperanças – Tenho essa forte opinião sobre o amor. Sinto que o amor é uma coisa a qual você não consegue controlar. É uma coisa bela. Você pode ter sua opinião, e pode fazer escolhas, mas no final você nunca decide por quem vai se apaixonar. O amor não possui fronteiras, não possui religião. Você apenas deve amar quem te ama de volta seja quem for que te faça feliz.”

O vídeo da música foi inspirado no filme alemão “Perfume,” porém disse a ele que a orgia me lembrou do clipe da música “I’m A Slave 4 U” da Britney.

“É um ótimo vídeo, e tem uma ótima energia. Realmente foi o que eu pensei, também. Quando estávamos fazendo,eu estava tipo ‘isso me lembra tanto o vídeo de ‘Slave 4 U’ o que é legal, porque foi um dos melhores clipes que ela já fez.”

Tokio Hotel lançou três músicas antes do lançamento do álbum. Bill disse que queria lançar o máximo de músicas que pudessem. Aqui há um exemplo da mudança de seu estilo; um colorido e divertido clipe, “Girl Got A Gun.”

O passado da banda, seu crescimento e experiência de vida dentro e fora dos clubes são algo que eles agradecem á dedicação dos fãs.

“Hoje em dia, é muito importante ter uma fã-base. Isso é o sucesso… ser capaz de entrar em turnê e tocar para as pessoas, e ter pessoas que queiram ir e ver seu show. As paradas e as vendas de discos mudam muito rápido. Um dia você tem um hit massivo, e no próximo as pessoas te esquecem… Nossos fãs são muito loucos e os amamos. Somos agradecidos por termos essa forte fã-base a qual faz muitas coisas acontecerem para nós.”

Enquanto estava postando, Tokio Hotel estava nos trends mundiais do Twitter.

Mas antes deles irem para as sombras da vida noturna, Bill deixou uma mensagem para seus seguidores:

“Sempre a melhor coisa é ver seus fãs. Há tantas pessoas que dizem ‘oh,por causa de você eu obtive esse estilo ou você me inspira.’ Eu amo quando inspiro as pessoas e os fãs seguirem seus sonhos, para realizar qualquer que seja seus sonhos. Essa é a beleza disso tudo… Eu apenas quero inspirar as pessoas com música.”

Fonte.
Texto traduzido por Mih. Se copiar, dê os devidos créditos ao THBR e à tradutora.

Deixe um comentário