Do que Bill e Tom Kaulitz se arrependem? Já faz 12 anos desde que os irmãos se tornaram mega estrelas do Tokio Hotel. Mas isso nem sempre foi fácil. Quais erros eles cometeram? – eles contaram isso para David Modjarad.

David: Tom, você é desafiador? [Se refere à roupa que Tom está vestindo]
Tom: Não, eu não sou desafiador, não. Eu apenas estou mais inspirado pelo frio aqui da Alemanha, então mantive o meu agasalho e eu não tenho que tirá-lo.
Bill: Eu estou vestido bem casual, por exemplo, eu nem sequer trouxe uma jaqueta comigo, e isso significa que eu estou com pouco frio. Eu não tinha uma jaqueta adequada à minha escolha, então eu pensei que eu preferiria ficar com frio.
Tom: Então ele fica indo lá fora, fumando no frio, e nós vamos entrar em turnê em breve, e isso simplesmente não pode acontecer.

David: Quando vocês assistem vídeos antigos, de quando vocês tinham 14 anos de idade, qual impacto isso causa em vocês?
Bill: Bem, as vezes isso parece ter sido em outra vida. O primeiro sentimento é “Wow, isso foi há MUITO tempo atrás”…
Tom: Nós nos sentimos como atores, quero dizer, nós olhamos as últimas tendências e em parte não podemos mantê-las conosco.
Bill: Quando nós começamos, as pessoas ficaram esperando o momento em que algo não desse mais certo, ou que tudo desmoronasse, e nós definitivamente sentimos a pressão. Naquela época [em 2010] quando fomos embora, foi tipo o nosso resgate, pessoal e profissional.

Com 27 anos e com o novo álbum “Dream Machine”, eles se tornaram mais experientes porque eles aprenderam com os próprios erros.

Bill: Agora lemos um ou dois contratos mais precisamente.
Tom: Sim.
Bill: É muito espontâneo.
Tom: Escolher o que você quer fazer e o que você não quer fazer mais. Hoje em dia sabemos disso. Há algumas coisas das quais você não se orgulha e que você não faria novamente.

Nós conversamos um pouco sobre negócios. Agora é hora de coisas privadas, e nós conseguimos um claro anúncio de Bill Kaulitz direto para a câmera.

Bill: Eu estou completamente aberto para algo novo! (risos)

Fonte.
Texto traduzido por Vivi. Se copiar, dê os devidos créditos ao THBR e à tradutora.

Deixe um comentário